© 2019 Todos os direitos reservados AM3 Marketing                                                                              

 Feito com ♥♥♥ para você!

Investimento em ano eleitoral: 11 dicas para ganhar dinheiro!

October 30, 2018

 

1 – Os investimentos financeiros ficam mais voláteis

 

 

O 1º ponto importante a ser dito e que é repetido em quase unanimidade pelos economistas é que ano eleitoral é um ano de muita volatilidade para boa parte dos investimentos financeiros.

E, a volatilidade é a medida estatística que mede a dispersão de retornos que um dado investimento ou classe de ativos.

Em palavras mais simples, a volatilidade nada mais é do que o ziguezague do mercado financeiro – as também chamadas “baixas e altas”.

Dessa forma, quanto mais volátil é um ativo maior é a chance de ele variar tanto para cima tanto para baixo em um dado período temporal.

Agora, será que isso é verdade? Será ano eleitoral é realmente um ano mais volátil?

Vamos ver como isso funciona na prática!

 

Volatilidade na prática
 

Em um gráfico do Ibovespa é possível observar que em três de cinco períodos analisados nos últimos anos, houve um aumento na volatilidade.

Em outros dois casos, não.

Esses dois anos [2006 e 2010] foram justamente os anos em que não houve muita variação na intenção de votos da população.

Por isso eles estão entre as primeiras pesquisas e a data das eleições.

E ainda o mercado financeiro como um todo não temia tanto uma reeleição de quem estava no poder.

Dessa forma, aconteceu o que chamamos de “eleições mais tranquilas”.

Analisando os dados dá para notar um aumento na volatilidade.

E não restam dúvidas de que a enxurrada de notícias que aparecem a todo o momento também são fatores que causam um bom agito no mercado.

Em 1999, tivemos um pico de volatilidade com a crise dos tigres asiáticos, na qual houve uma adoção do câmbio flutuante no Brasil.

Em 2008, novamente, houve uma grande aumento na volatilidade.

E desta vez foi por conta da crise do “subprime”.

Portanto, se você é um investidor com perfil conservador ou ainda não tem muito conhecimento de renda variável, é preciso muita atenção.

A sugestão é que você não se aventure nesta classe de ativos nesses próximos dias.

Aliás, mais do que isso, que você não saia de investimentos conservadores!

Isso não apenas em um ano eleitoral, mas nos anos não eleitorais também.

 

2 – A renda variável sempre requer muito estudo e conhecimento
 

O que você precisa saber é que antes de escolher um investimento em ano eleitoral ou em qualquer outro terá que compreender bem como funciona essa dinâmica da volatilidade.

Porque isso tem a ver com os seus riscos, que acontece também em várias classes diferentes de ativos.

Sendo você um investidor conservador, que não suporta volatilidade, você deve dar preferência os ativos de renda fixa pós-fixados, como: Tesouro Selic, CDBs com liquidez diária, Letras de Crédito.

Essas são boas alternativas de investimentos não só para conservadores como também para investidores mais experientes, mas que não suportam de forma alguma a volatilidade do mercado.

Agora, se você é um investidor mais ousado e possui um horizonte temporal de longo prazo, comece a buscar mais conhecimento sobre esses investimentos.

A bolsa de valores com certeza vai prometer grandes emoções em 2018.

Dependendo do candidato que ganhar no final do ano podemos ter desfechos bem diferentes, de uma forma geral.

Bom, independentemente de qual for o resultado, com certeza teremos um ano com bastante volatilidade na bolsa de valores como todos os anos possuem.

Dito isso, a melhor solução para qualquer investidor tem uma estratégia de longo prazo e seguir fiel a ela.

 

3 – Conheça o seu melhor investimento de longo prazo
 

O tesouro IPCA+ 2035 é visto hoje com um dos melhores investimentos de longo prazo das carteiras mais conservadoras.

Este tipo de título público oferece uma rentabilidade real, o que é importante para proteger o investidor das oscilações da inflação e ainda garantir o tal do retorno adicional, que é justamente os juros.

Na real, esse investimento se baseia na variação a inflação, que é medida pelo IPCA e prevê taxa de juros prefixada.

“O prêmio pago pelo governo, ou seja, o ganho real, em torno de 5,5% ao ano, é bastante superior à média do retorno de aplicações financeiras em países desenvolvidos”.

Ele diz que o Tesouro Direto é uma das opções mais importantes no quesito vantagem, principalmente se comparada com fundos de previdência privada, que tem altas taxas de administração, que correm a rentabilidade financeira final – principalmente no longo prazo.

Além disso, como é um título público, o Governo Federal garante o pagamento, sendo que o risco de mercado é excepcionalmente menor.

Além disso, para iniciar um investimento financeiro desse, basta 30 reais, o que já é suficiente para começar a receber juros.

E, optando pelo título de longo prazo, a incidência do Imposto de Renda será mínima, de 15%.

 

 

Tipos de Títulos no Tesouro Direto
 

Com datas de vencimento e taxas de remunerações diferentes, que variam de momento em momento, os títulos do tesouro direto são variados.

E, atualmente, a maior parte das pessoas investem nas opções de investimentos à longo prazo, pensando, principalmente na aposentadoria.

Entenda o porquê e veja todos os tipos de opções.

LFT (Letras Financeiras do Tesouro)

São títulos pós-fixados que são remunerados pela Taxa Selic, assim, possui alta liquidez. O investidor recebe juros e uma remuneração principal.

A conta do rendimento é fácil de ser feita, basta consultar a taxa Selic atual.

LTN (Letras do Tesouro Nacional)

São pré-fixados, ou seja, já tem um valor fixo para quando o resgate for feito, na data do vencimento.

Eles costumam render pouco mais do que as LFT, mas isso não acontece necessariamente. Tudo vai depender do atual momento da economia, logo, dos juros Selic.

NFN-F (Notas do Tesouro Nacional, série F)

São pré-fixados assim como as LTN, porém tem pagamentos de juros semestrais, chamados de cupons.

NTN–B (c, série B)

São títulos atrelados à inflação, corrigidos pelo IPCA e acrescidos de uma remuneração pré-fixada.

É uma opção para quem quer proteção contra a inflação.

NTN-B Principal

Não tem pagamentos semestrais e paga tudo que foi acumulado no vencimento.

Esse é ideal para quem tem objetivos à longo prazo.

 

4 – Viver agora e gastar tudo agora
 

Como já dizia o brasileiro Augusto Cury: “as pessoas inteligentes aprendem com os seus erros, porém as pessoas sábias aprendem com os erros dos outros”.

Então, esse é um tópico para falar sobre “o que você não deve fazer”, se estiver pensando em investimento em ano eleitoral.

É um erro, um grande erro, acreditar que a forma de aproveitar o agora é gastando tudo aquilo que você ganha!

“Ah, mas e se eu morrer amanhã? Melhor gastar agora”.

Não, não e não.

Esse não é o jeito certo de se pensar, amigo.

Essa é uma crença muito comum entre as pessoas.

E sabemos que é muito gostoso gastar tudo que você ganha, não vamos ser mentirosos e dizer que isso não é prazeroso.

Mas, na mesma proporção, não podemos deixar de te perguntar uma coisa: você acha mesmo que não vale a pena medir o que é relevante e importante na sua vida?

Por exemplo, para você pode ser viagens, isso se você for uma pessoa que adora viajar.

Mas, para isso, é muito importante que você junte dinheiro e que tenha um orçamento financeiro que permite realizar esse sonho em algum prazo estipulado.

Todo mundo pode e deve fazer viagens em família, sozinhos, em casal. Mas, ninguém deve ficar sem se programar para isso.

E como fazer isso é bem fácil: separe uma parte da sua renda pensando nesse objetivo.

 

 

5 – Cuidado com as promoções
 

Esse é um tópico que complementa o anterior.

Se você sabe que não deve gastar tudo que ganha, então, sabe que tem que ter cuidado com as promoções também, não é?

Porque se você não fizer isso não vai nem conseguir iniciar ou manter o seu investimento em ano eleitoral.

Achar que está economizando por aproveitar uma promoção é outro erro comum na vida dos brasileiros.

É muito comum que as pessoas fiquem passando em frente as lojas e veem aquele celular novo que acabou de lançar e sintam uma vontade gigante de comprar.

E só porque o produto está com desconto de 10%, a pessoa acha que é vantajoso.

O fato é que como qualquer outra coisa, vale sempre a pena a gente colocar na balança e ver se realmente é necessário comprar aquele produto.

Será que a gente realmente precisa daquilo agora?

Por causa da promoção muita gente se convence de que precisa e está aproveitando uma oportunidade de comprar mais barato.

A questão é fácil de ser resolvida basta se perguntar:

  • Você realmente compraria pensando no custo-benefício?

  • Você realmente estava precisando desse produto?

Um exemplo muito comum que vemos por aí é o que acontece nos mercados, o famoso “Compre 2 e leve 3” ou “Leve 3 e pague 2”.

  • Mas de fato, sobre a quantidade, será que estamos economizando mesmo?

  • Quanto tempo você leva para consumir esses 3 itens?

  • Quanto a mais você está pagando por cada item?

E cada item que você nem precisa né…

Então vale sempre pensar e colocar na balança!

Ah, mas por que estamos falando em economizar dinheiro se o assunto é investimento em ano eleitoral?

Porque se você “participar” de muitas promoções não vai ter como investir o seu dinheiro e obter lucros no futuro.

 

6 – Poupar ao extremo… Mas, guardar tudo na poupança
 

No tópico 3, falamos sobre “conhecer o seu melhor investimento de longo prazo”, então, você já está sabendo que a poupança não é um desses “melhores investimentos”.

Essa dica se resume, portanto, em: cortar custos, mas não saber como aproveitar esse dinheiro e investir do jeito certo.

Cortar custos e investir na poupança é outro erro.

A caderneta da poupança é sim o investimento mais antigo do Brasil e também não tem juros nem taxas. Isso é verdade.

Mas, quem foi que disse é a melhor aplicação financeira do Brasil? Nem em termos de segurança e nem em termos de rentabilidade.

Esse é o custo de não estudar sobre educação financeira [e vamos falar mais disso depois].

Para você ter uma ideia do que estamos falando:

– Uma pessoa que investe 500 reais por mês sobre a taxa de 1% ao mês por 30 anos!

Imaginou essa situação?

Em um saldo bruto ela teria em torno de 1,7 milhão de reais.

Agora, outra situação:

– Uma pessoa que investe o dobro (1.000 reais) por mês sobre os mesmos 30 anos e uma taxa de poupança (0,5%)!

Adivinha quanto ela terá: em torno de 1 milhão reais.

Entende que é muita diferença? 700 mil reais de diferença!

A pessoa que investiu mais [investiu o dobro] tem menos dinheiro do que a outra!

E por quê? Simplesmente pela taxa de juros que é bem menor!

É importante você pensar na taxa do seu investimento em ano eleitoral também, tá bom?

Por fim, a gente vê a diferença que um investimento tem de outro a partir dos juros, que são importantes ao longo do tempo!

 

7 – Poupar dinheiro é importante e ter renda passiva também
 

Caso você não saiba o que é renda passiva, vamos lá!

É importante que você conheça.

É todo dinheiro que aparece para você sem que você tenha vendido seus esforços por isso.

Um investimento financeiro te gera lucro pelo simples fato de você emprestá-lo, portanto, é uma renda passiva.

Hoje em dia as pessoas estão dando muito foco em viver de renda, em juntar dinheiro e sobre aquele capital que já tem conseguirem viver com a renda que ele mesmo gera.

Observe que juntar dinheiro é sim importante, inclusive, é essencial.

Só que é a renda passiva, os lucros, que vai garantir o seu futuro.

 

8 – Não estudar muito as finanças
 

É comum a gente encontrar aquele tipo de pessoa que tem muita pressa em ganhar dinheiro!

Dinheiro rápido e dinheiro fácil são temas que sempre estão nas buscas da internet.

Isso pode até ser bom, mas indica que as pessoas não tem a visão de que é preciso estudar o assunto para fazer as melhores escolhas.

Aqui estamos falando em investimento em ano eleitoral, não é?

Então, o que você precisa saber? Que a política influencia na economia do país e nas taxas dos investimentos.

Logo, não basta ir lá e aplicar dinheiro… Você tem que conhecer as aplicações, as taxas, as opções e aprender as fazer as contas também.

Entender tudo isso é importante para você tomar uma decisão mais assertiva.

Porém, entenda que não há melhor pessoa para cuidar do seu dinheiro do que você mesmo.

 

“Ah, então não posso confiar no meu gestor”?

Claro que pode. Mas, o ideal é você saber argumentar com ele, pesquisar, refletir… Justamente para que ele não “passe a perna em você”.

O fato é que você quando você entende o assunto, você fica seguro sobre ele!

É lógico que nós, da Trovó Academy, apoiamos os especialistas e as pessoas que entendem do assunto e trabalham com isso.

Porém, somos altamente a favor de você saber lidar com o seu dinheiro também!

Você não precisa ser um especialista, mas é fundamental que você entenda suas finanças pessoais.

 

9 – Se preocupar com que os outros vão pensar
 

Também é muito comum as pessoas pensarem no que as pessoas vão pensar sobre a vida delas.

E a partir disso cria-se a falsa imagem do “status”.

  • Para você o que é uma pessoa bem de vida?

  • Aquela que tem uma mansão na zona sul da sua cidade?

  • Aquela que tem um carrão de última geração, com rodas de liga?

  • Aquela que viaja todos os anos para a Europa e faz compras em lojas de grife?

Aliás, é isso que você quer para a sua vida também?

Não é o tipo de carro, de casa, de celular, a marca de roupa… Nada disso que vai importar para você estar “bem de vida”.

Então, esse tema se aplica a vários itens da nossa vida.

Mas, vamos pensar em Warren Buffett, que é um dos caras mais ricos do mundo, um investidor simples, mas sábio.

Ele tem uma casa simples [a mesma comprada há 40 anos atrás] e um carro velho também [que não deve valer quase nada no mercado].

E ele sempre garante, em entrevistas, que é uma pessoa feliz!

Uma das frases que Warren Buffett que sustenta essa teoria é:

– “Não dê bola para o que os outros falam”.

Muitas das pessoas de sucesso, muitas mesmo, foram muito criticadas quando tomaram uma decisão que era diferente daquele padrão de vida das pessoas.

E o resultado é que foram bem sucedidas depois disso!

Então, siga o seu plano!

Saiba o que está fazendo e siga as suas metas e seus objetivos!

Pare de pensar no que os outros vão achar sobre isso!

  • Você também vai gostar de ler isso: Como Ficar Rico Rapidamente Sendo Pobre – 5 Dicas Simples de Warren Buffett

 

10 – Ser pessimista é um péssimo comportamento
 

Ser pessimista atrai a negatividade e atrai também tudo aquilo com o que a gente não deve se preocupar ou se concentrar.

Por exemplo: só o fato de você acordar preocupado sobre algo que não está sob seu controle, o universo começa a conspirar sobre aquilo para te atrair para aquilo.

Ah, você nem precisa acreditar na lei da atração ou das energias, se não quiser.

Mas, estudos comprovam que pessoas mais otimistas tendem a ter mais sucesso na vida.

Inclusive, na vida financeira.

Portanto, é importante que você sempre esteja rodeado de pessoas positivas.

Busque estar com as pessoas que buscam o mesmo que você.

Que tenha um objetivo, um propósito, uma meta e um plano a seguir.

Isso é muito importante.

Não sei se vocês já ouviram falar disso, mas muitas pesquisas e reportagens mostram que nós somos a média das 5 pessoas mais próximas a nós.

Então, se você tem muitos amigos pobres, o ideal é começar a rever isso. Mas, não estamos falando de pobreza financeira, e sim de espírito, está bem?

Para entender isso, veja o vídeo abaixo:

 

 

E não estou falando para você mudar o seu círculo social.

Mas é muito importante que você comece a se vincular as pessoas que tenham a mesma ambição que você.

Só mais um ponto muito importante nesse tópico: ambição e ganância são coisas completamente diferentes!

A ambição é querer mais e melhor sempre, já a ganância é você querer algo a qualquer custo.

Então, a ambição é uma coisa muito boa!

 

11 – Ser um pagador de juros invés de um recebedor de juros
 

Por fim, mas não menos importante, saiba que a proporção é a mesma entre você tomar empréstimo para ter crédito ou pagar isso em prestações pagando juros.

O fato é que quando opta por receber juros, você começa a acumular capital.

Então, sempre ter o foco em ser um recebedor de juros e nunca um pagador de juros é o conselho para quem quer ter sucesso.

Share on Facebook
Share on Twitter